Família um projeto de Deus - Michel Plattiny

02-05-2011 13:45

  Infelizmente o conceito de família tem se perdido em nosso dias. A familia nucler esta deixando de existir para uma nova geração de pessoas que não têm família, ou estão separados, outros preferem viver sozinhos, enfim as pessoas na atualidade tem uma grande dificuldades de manterem relacionamentos duradouros.

    Zygmunt Bauman um sociólogo Polonês conhecido por suas análises das ligações entre modernidade e o consumismo pós-moderno em um dos seus livros chamdo: "Amor líquido" analisa os relacionamentos do mundo no qual vivemos atualmente. Diante dessa análise Bauman constata que relações acontecem com extraordinária fluidez, que se movem e escorrem sem muitos obstaculos, marcadas pela ausência de peso, em constante e frenético movimento. O que o sociólogo quer dizer com isso, é que as pessoas tem relacionamentos que são descartáveis, por isso, nos deparamos com famílias se desolvendo como se isso fosse natural. Diante da dificuldade do casamento o conselho dado é de separação, diante do filho problemático é de que o abandone. Olhando para esse amor líquido o que podemos detectar é que o mundo caminha para relacionamentos sem princípios, e sem parâmetros.

    Entretanto, quando olhamos para a palavra de Deus ela nos apresenta princípios que trazem relacionamentos duradouros, pois se fundamentam no verdadeiro amor de Deus que é sólido.

Em I Coríntios, o apóstolo Paulo nos apresenta um dos mais belos textos bíblicos acerca do amor. E nessa exposição Paulo coloca princípios que regem a pratica do amor.

1. O amor sólido é benigno para nossas relações

I Co 13.4 “O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece...”no mundo onde prevalece a impaciência e a intolerância nos relacionamentos, o verdadeiro amor produz o fruto da paciência, Tomas Kempis em seu livro Imitação de Cristo diz: “Todos recomendam a paciência, mas poucos a praticam”. O verdadeiro amor é benigno.

2. O amor sólido se alegra com a felicidade do próximo

Dentro de uma sociedade tão consumista e competitiva algumas famílias têm vivido dessa forma, relacionamentos competitivos dentro de casa, mas I Co 13.5-6 diz:“O amor não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;” O verdadeiro amor não age inconvenientemente com aqueles a quem ama: A esposa que ama seu marido se mostra uma auxiliadora, o esposo que ama sua esposa se entrega por ela e por sua família com Cristo fez pela igreja, os filhos que amam seus pais os obedecem como se o fizessem para Deus.

3. O amor sólido é o laço que nos une

Diante de relacionamentos que não suportam dificuldades e se dissolvem, diante de pessoas que não acreditam mais na restauração da família nós aprendemos com I Co 13. 7 “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” O verdadeiro amor suporta as dificuldades familiares, o verdadeiro amor acredita na transformação e na restauração de Deus na família, o verdadeiro amor espera em Deus!!

Que possamos viver em nossas famílias os princípios de Deus, pois Deus têm pra nós relacionamentos duradouros, transformados e abençoados na sua presença.

 

Pastor Michel Plattiny Gonçalves Leite

Igreja Presbiteriana Independente Jardim das Oliveiras

site: www.ipijo.webnode.com.br