O tempo - Michel Plattiny

12-10-2007 17:06
O inverno se vai sem deixar muitas saudades
Chega a primavera com cara de verão
Os dias, meses e estações passam e me vejo
Vejo que sou efémero e impotente diante do tempo

Ele passa sem pedir licença
Não se importa se estamos cheios de alegria
Vem e rouba a felicidade
Não se importa com as nossas dores e tristezas
Se alonga por uma eternidade em dias como esses

Quando estou feliz ao lado de quem amo
Ele vem e me rouba a presença da pessoa amada
Quando estou triste e angustiado
Ele se torna lento e eterno

O tempo é burocrático
Ele tem que ser como é
Não leva em consideração sentimentos e emoções
Ele é como a brisa da tarde

As vezes vem de maneira leve e suave
Onde posso perceber até os mínimos movimentos
De uma folha caindo

Porém se apresenta tambem como um furacão
Sem se importar com o que  pela frente
Passa, arrasta e leva consigo muitas coisas que amamos

Gostaria de domina-lo em meu relógio
Claro onde eu dominaria tudo
Tempos com minha amada seriam eternos
Tempos de tristezas seriam efémeros

Mas diante desse pensamento vejo que seria egoísta
Pois diante de momentos felizes, muitos poderiam estar em tempos de crises
vice-versa
Reconheço que ele permaneça como esta ditando
As horas, minutos e segundos felizes ou tristes sobre nós.